6 perguntas para José Aparecido Costa Freire, presidente do sistema Fecomércio-DF

José Aparecido da Costa Freire, 57 anos, pai de duas filhas e avô de dois netos, nasceu em Corumbá de Goiás (GO). Chegou a Brasília em 1972. É formado em Ciências Contábeis pelo Centro Universitário (ICESP) e atua como empresário no setor de papelarias e livrarias há mais de 30 anos

Foto: Pedro Oliveira.

Como empresário e gestor, Aparecido tem sua atenção pautada pela força colaborativa, influência e interesse coletivo. José Aparecido busca gerir a Fecomércio-DF de forma transparente e participativa, incentivando e defendendo os interesses dos empresários do comércio do Distrito Federal. Em seu mandato como presidente do Sistema Fecomércio-DF – que inclui o comando da Fecomércio-DF, Sesc-DF, Senac-DF, Instituto Fecomércio –, além do cargo de vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), vai até junho de 2026. Tivemos um bate-papo com o presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido da Costa Freire. Veja o que ele nos respondeu:

1- Quais foram as entregas do sistema Fecomércio-DF em 2022?
Em 2022, nosso projeto Sistema Fecomércio Perto de Você atendeu mais de 30 mil pessoas em diferentes cidades do DF. Levamos todos os serviços da Federação, Sesc, Senac e Instituto Fecomércio para que a população pudesse ser atendida de forma gratuita.
Pela Federação do Comércio, avançamos em pautas importantes para o setor produtivo, com muita articulação e diálogo com os Poderes Executivo e Legislativo. A nova Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS) e a regulamentação do Programa de Incentivo à Regularização Fiscal (Refis) 2022 são exemplos disso. Além disso, estamos avançando em outros temas, como a revisão do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB), a revitalização do Setor Comercial Sul e uma nova proposta para a Lei do Silêncio. Essas matérias devem ser discutidas e votadas no ano que vem.
No Instituto Fecomércio-DF, batemos um recorde com a inserção de mais de 3,8 mil estudantes no mercado de trabalho, dentro dos programas de estágio e Jovem Aprendiz. Pelo Sesc, atingimos a marca de meio milhão de carteirinhas, sendo mais de 150 mil inscritas neste ano. Com isso, damos acesso a serviços de saúde, esporte, educação e cultura para a população do DF. Já no Senac, oferecemos 3,5 mil vagas gratuitas em 60 cursos de qualificação profissional. Abrimos vestibular para a Faculdade de Tecnologia e Inovação em diversos cursos, com mensalidades entre R$ 99 e R$ 149,99.
Por fim, no âmbito do Sistema Comércio nacional, tivemos um case selecionado para participação no Rio Innovation Week, evento que reuniu players do empreendedorismo, varejo, tecnologia e inovação de todo o mundo. O Mapa do Comércio, ferramenta elaborada a pedido da Fecomércio-DF, com apoio do Sebrae, foi apresentada ao público. A plataforma de inteligência provém do setor produtivo da capital com informações estratégicas.
Ainda no Rio de Janeiro, durante o Conecta 22, realizado pela CNC, nossa Federação ganhou o prêmio de melhor projeto de sustentabilidade ao migrar a cobrança de boletos impressos por digitais. Além de nos modernizamos, economizamos papel e mais de R$ 100 mil por ano, investindo hoje somente R$ 5 mil para emissão dos documentos, via email.

2- O que você pretende fazer no sistema Fecomércio-DF em 2023?
Primeiramente iremos para uma nova sede na Asa Norte. Ficaremos junto com a equipe administrativa do Senac em um prédio mais moderno e espaçoso, capaz de acomodar os sindicatos e oferecer mais estrutura para nossas atividades. Estamos planejando também o avanço dos nossos serviços para a parte norte do DF. Já compramos o terreno e estamos organizando a construção de um prédio do Sesc e outro do Senac em Planaltina. Além disso, o projeto Sistema Fecomércio Perto de Você voltará a percorrer as cidades do Distrito Federal levando serviços de qualidade e atendimento gratuito a toda a população.

3- Quais são as perspectivas econômicas para o DF em 2023?
Esperamos que nos próximos anos possamos colocar em prática ações que foram interrompidas pela pandemia. Estamos otimistas quanto a isso, mas ainda não é possível prever o cenário econômico diante de tantos fatores que podem influenciar o desempenho da economia mundial e local. Estamos atentos às oportunidades que poderão fazer a diferença no nosso dia a dia, como investir em inovação, tecnologia e modernização. Nosso objetivo principal será sempre trabalhar para gerar emprego e renda para nossa cidade.

4- Como você observa o relacionamento do setor produtivo com o governo do Distrito Federal?
Temos um ótimo relacionamento, baseado no diálogo e na busca conjunta por soluções que priorizem o setor produtivo, e como consequência, a população. Somos o setor com o maior PIB no Distrito Federal – mais de 50%. Por isso, o governador Ibaneis Rocha sempre destaca que uma de suas prioridades é criar um bom ambiente para os empresários, já que são eles os geradores de emprego. Ao longo dos últimos anos, tivemos a certeza de que o atual governo foi o que mais se sentou à mesa para discutir com o setor produtivo.

5- Quais são as expectativas de relacionamento e parcerias do Sistema CNC/Fecomércio com o próximo governo Lula?
Este ano assumi o cargo de vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e posso garantir que o Sistema Comércio está atento e acompanhando todos os assuntos na esfera federal. Hoje a CNC está em contato direto com todos os ministérios e acompanha mais de 7,4 mil proposições no Congresso Nacional. Estamos satisfeitos que o novo governo tenha decidido recriar o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Isso dará grande relevância e foco estratégico para setores fundamentais da economia brasileira.

6- Deixe uma mensagem de fim de ano e de ano novo com muito otimismo para os nossos leitores?
Desejo que todos possam ter um excelente fim de ano ao lado de seus familiares e amigos. Que possamos celebrar mais um fim de ciclo com muitas lutas e conquistas. E que possamos começar 2023 com bastante confiança e esperança em dias melhores. Desejo, acima de tudo, muita saúde a todos, para que possamos seguir trabalhando e transformando nossa realidade. Que Deus nos abençoe e ilumine sempre. Boas Festas a todos os brasilienses!

Edilayne Martins

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida." (Bob Marley)

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Últimas

5/recent/post-list