Novos rumos para a saúde com mutirão de cirurgias e novos hospitais

Governadora em exercício Celina Leão estipula mais de 20 ações para GDF acelerar melhorias no atendimento à população

Foto: Pedro Santos.

Nesses primeiros meses do ano, a saúde pública do Distrito Federal está passando por mudanças radicais, processo que vai continuar nos próximos meses. De um mutirão de cirurgias até a troca e unificação de sistemas de informatização, mais de 20 medidas foram ou estão sendo tomadas para oxigenar uma área prioritária para o governo.

É o que determinou a governadora em exercício Celina Leão nesta semana para reforçar um compromisso da época de campanha ao lado do governador eleito Ibaneis Rocha. "Essas ações, algumas emergenciais e urgentes e outras mais duradouras, são para cumprir o nosso plano de governo e fazer o que precisa ser feito, que é resolver os problemas na saúde. Elas demonstram o nosso compromisso com a área e a população vai sentir essas mudanças", destaca Celina Leão.

Veja, a seguir, quais são essas ações determinadas pela governadora em exercício Celina Leão.

Vinte e cinco mil cirurgias
Uma das mudanças é o mutirão de cirurgias eletivas. Serão feitas 25 mil nas áreas de oftalmologia, hérnia e vesícula, além de procedimentos de histerectomia, ortopedia e otorrinolaringologia. A expectativa é reduzir a fila por procedimentos em aproximadamente 60%, área que foi fortemente afetada pela pandemia da covid-19. O governo precisou cuidar dos pacientes e reservar os leitos, necessários para procedimentos cirúrgicos.

Essas cirurgias serão possíveis após o GDF construir apoio junto aos deputados distritais para a destinação de R$ 24 milhões. Esse acordo ocorreu após almoço da governadora em exercício com os parlamentares, na residência oficial do governo, em Águas Claras. O restante do valor, cerca de R$ 10 milhões, vem em parceria com o governo federal.

Com as cirurgias eletivas, a expectativa é reduzir a fila por procedimentos em aproximadamente 60% | Foto: Arquivo Agência Saúde

Autonomia e simplificação das compras
A compra de materiais e medicamentos e a contratação de serviços e pequenos reparos vão ser simplificadas pelo governo. Atualmente, esses itens são processados pelo Programa de Descentralização Progressiva de Ações de Saúde (Pdpas), e o GDF vai modernizar esse sistema com o auxílio do Banco de Brasília (BRB) e do Sebrae-DF. O decreto com as mudanças deve ser publicado nesta sexta-feira (17).

O Pdpas é utilizado, principalmente, nas compras de farmácia, almoxarifado e consertos de equipamentos não previstos em contratos de manutenção. O valor, que era de R$ 17 mil por código – não equivale a um item –, passou para R$ 50 mil durante a pandemia e será reajustado para R$ 57 mil.

O programa é essencial para situações emergenciais dos hospitais e será desburocratizado com o uso de um cartão pelos gestores da saúde. Significa autonomia e acesso rápido a recursos e a fornecedores para resolver problemas.

Hospital de retaguarda será na Policlínica da PMDF
Outra mudança é o endereço do hospital de retaguarda já anunciado e que seria construído em uma área próxima ao Estádio Serejão, em Taguatinga. O hospital está mantido, mas agora será viabilizado dentro da estrutura da Policlínica da Polícia Militar, no Setor Policial Sul.

O hospital de retaguarda deve ter 200 leitos e funcionará no formato "porta fechada", em que os pacientes são encaminhados após passarem por uma das 13 unidades de pronto atendimento (UPAs) do DF. O objetivo é ampliar o número de atendimentos na atenção secundária e hospitalar. O acolhimento será feito por clínicos e uma equipe multidisciplinar.

Além disso, o governo vai abrir 26 leitos de retaguarda para as UPAs no 1º andar do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e outros 30 leitos de retaguarda no Hospital Cidade do Sol, em Ceilândia.

Transparência em procedimentos
Todos os procedimentos feitos pela rede conveniada ao GDF, composta pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF), Instituto de Cardiologia e Transplantes do Distrito Federal (ICTB), Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB), Hospital Universitário de Brasília (HUB), será registrado no Infosaúde, o portal de transparência da Secretaria de Saúde. A medida vale, inclusive, para clínicas conveniadas para exames de imagem.

Unificação de sistemas e informatização
Também vem sendo trabalhada a informatização da rede em um único programa para melhor controle de todos os fluxos da saúde. Isso vai permitir, por exemplo, a um médico da atenção primária acessar um exame feito por um paciente no Hospital de Base, melhorando o diagnóstico.

DF vai ganhar Santa Casa de Misericórdia
Outro encaminhamento na área da saúde é a construção de uma unidade da Santa Casa de Misericórdia no DF. Ela será construída entre Ceilândia, Taguatinga e Samambaia, em endereço já definido e doado ao governo pela Terracap.

A Santa Casa de Misericórdia é um espaço de saúde dedicado a cuidar dos mais necessitados e um braço forte do Sistema Único de Saúde (SUS), presente em mais de 800 municípios em todo o país. A capital é, atualmente, a única unidade da federação que não conta com uma Santa Casa.

Perfil técnico no comando
A governadora em exercício fará mudanças de gestores que não possuem o perfil técnico e adequado para ocuparem os cargos. A mudança objetiva a melhor prestação de serviço à população.

Reforma da cozinha do Hospital de Base
A reforma da cozinha do Hospital de Base está em andamento e começou pelos banheiros e vestiários. Essa é a primeira etapa de um projeto do governo de reestruturar o hospital andar por andar.

Nomeação de mais de 1,2 mil servidores
Em fevereiro, a saúde ganhou 1.236 servidores. A convocação envolveu 437 médicos de 23 áreas, 220 enfermeiros, 125 odontólogos e 454 especialistas em saúde.

Telemedicina
O GDF vai assinar, junto ao Ministério da Saúde e a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, um termo de adesão para o projeto Assistência Médica Especializada nas Regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil por meio da Telemedicina.

Mais vagas de hemodiálise
O número de vagas de hemodiálise para crônicos será ampliada com a construção de uma tabela SUS regionalizada do DF.

Oxigenoterapia domiciliar
Está prevista a contratação do serviço de oxigenoterapia domiciliar emergencial e regular.

Mais equipes de Saúde da Família
A cobertura de Estratégia Saúde da Família será ampliada com a contratação de 42 médicos de família e comunidade, fortalecendo esse serviço essencial à população.

Contratação de anestesiologistas
O governo vai contratar, via cooperativa, anestesiologistas para aumentar as cirurgias em toda a rede pública de saúde.

Mais leitos no Hospital de Base
O Hospital de Base terá oito leitos de UTI pediátrica reativados, além da abertura de uma UTI coronariana com dez leitos.

Leitos pediátricos no Hospital da Criança
Também está prevista a abertura de cinco leitos pediátricos no Hospital da Criança de Brasília.

Mais servidores
Serão admitidos 845 servidores na Secretaria de Saúde em 22 categorias

Atendimento pediátrico em UPAs
O governo também fará a aditivação de contrato para atendimento pediátrico nas UPAs de São Sebastião e Recanto das Emas.

Mudança no fluxo de compras
A Saúde também fará uma mudança no fluxo de compras de órteses, próteses e materiais especiais para abastecimento regular da pasta.

Novos computadores
O parque tecnológico da Secretaria de Saúde será modernizado com a aquisição de 7.694 computadores.

Mais equipamentos
A Saúde está em processo de compra de 59 incubadoras e 63 berços aquecidos para substituição de equipamentos ultrapassados. Também vai adquirir 43 ecógrafos, cinco ecocardiógrafos e 38 raios-X móveis.

Novas motolâncias
O GDF comprou 26 motolâncias para uso do Samu. Elas serão entregues até o fim de abril.

Atualização cadastral no SUS
Está em andamento um projeto de lei que trata da atualização cadastral do usuário do SUS e da racionalização da fila de espera da regulação.

Reforma no Hospital de Taguatinga
A reforma dos leitos de UTI pediátrica e adulto do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) será executada para cumprimento das normas vigentes.

Manutenção e limpeza dos hospitais
A Saúde terá contratação regular de manutenção predial no valor de R$ 74 milhões anuais para todos os equipamentos públicos de saúde da rede e a contratação regular de limpeza e desinfecção de área hospitalar.

Novo contrato de gestão para o IgesDF
Está em elaboração um novo contrato de gestão do IgesDF, que será publicado pelo governo.

Edilayne Martins

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida." (Bob Marley)

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Últimas

5/recent/post-list